Página Inicial
   
 
 
Empresa | Áreas | Serviços | Notícias | Portfólio | Clientes | Compliance | Contato
COBRAPE - Companhia Brasileira de Projetos e Empreendimentos
 
Portfólio
PROJETOS BÁSICOS E EXECUTIVOS E ESTUDOS AMBIENTAIS DOS SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DO SISTEMA DE COLETA, TRATAMENTO E DESTINO FINAL DOS ESGOTOS SANITÁRIOS PARA 15 MUNICÍPIOS DO ESTADO DO MARANHÃO
  
voltar



Cliente: Companhia de Águas e Esgotos do Maranhão – Caema

Período: janeiro de 2001 – julho de 2002

Descrição do Projeto

Os estudos e projetos para melhoria e ampliação dos sistemas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário de 15 pequenos municípios do Estado do Maranhão fazem parte do  Programa de Ação Social em Saneamento – PASS-BID, financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento e gerido pela Secretaria Especial de Desenvolvimento Urbano da Presidência da República. O Programa que tem como objetivo implementar projetos integrados de saneamento nos bolsões de pobreza do País. São elegíveis para obter recursos do PASS-BID municípios com população urbana entre 15 mil e 50 mil habitantes com déficit de cobertura por serviços de saneamento superior à média nacional. As soluções propostas, incluídos os custos de obras e intervenções, têm como horizonte um período de 20 anos. Os municípios contemplados nesta etapa do Programa são: Açailândia, Balsas, Barra do Corda, Chapadinha, Coelho Neto, Grajaú, Lago da Pedra, Pedreiras, Pindaré-Mirim, Pinheiro, Presidente Dutra, Santa Luzia, São Mateus, São José de Ribamar e Zé Doca.

Descrição dos Serviços

I. SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO – SES

1. Estudos de Concepção

  • Análise e avaliação dos projetos existentes e avaliação operacional do sistema existente visando a ampliação do sistema de coleta, afastamento e tratamento de esgoto.
  • Estudo demográfico: projeção populacional, com base em dados do IBGE e outros dados levantados junto às concessionárias de serviços públicos, utilizando diferentes metodologias, para período 2000-2018.
  • Estudos técnico-econômicos e definição de alternativas: pré-dimensionamento das unidades componentes dos sistemas, para cada uma das várias alternativas apresentadas para o sistema de coleta, transporte e tratamento do esgoto, com levantamento de custos de implantação, operação e manutenção ao longo do horizonte de projeto.

2. Projetos Básicos e Executivos das Unidades do Sistema de Coleta, Afastamento e Tratamento de Esgotos

  • Projetos de edificações e urbanização, incluindo as instalações hidrossanitárias, para todas unidades especiais, constituídas de casa de operador e abrigo de geradores (Estações Elevatórias e Estação de Tratamento de Esgotos); e projeto de terraplenagem para a ETE, de maneira a quantificar o movimento de terra decorrente da implantação das lagoas de estabilização.
  • Projetos básicos e executivos das redes coletoras, coletores tronco, interceptores e emissário final, dimensionadas utilizando-se o modelo CESG - Sistema Automático de Cálculo de Redes de Esgotos Sanitários, desenvolvido pela Fundação Cento Tecnológico de Hidráulica  da USP: definição de traçados e de vazões de escoamento; cálculo hidráulico; detalhamentos de singularidades, embasamentos e escoramentos de valas; e análises geotécnicas para dimensionamento de escoramentos de valas.
  • Projetos de Estações Elevatórias de Esgotos EEE com gradeamento para retenção de sólidos; poço com as funções de acúmulo de esgotos e de sucção do sistema elevatório e casa de máquinas; adoção de conjuntos motorbomba do tipo submerso e autoescorvante.
  • Projetos de linhas de recalque com dimensionamentos e detalhamentos hidráulicos, embasamentos e escoramentos; realização de estudos de transientes hidráulicos utilizando o modelo matemático CTran - Sistema Automático de Cálculo de Transientes desenvolvido pela Fundação Centro Tecnológico de Hidráulica  da USP.
  • Projeto de ETE compreendendo: (i) sistema de gradeamento do tipo manual; (ii) desarenador do tipo canal, por gravidade; (iii) caixa de retenção de sólidos grosseiros em concreto armado; (iv) caixa de evaporação em concreto armado; (v) medidor de vazão do tipo calha Parshail; (vi) caixa de saída do efluente do desarenador em concreto armado e dotada de um extravasor; (vii) lagoas anaeróbias; (viii) lagoas facultativas secundárias; (ix) lagoa de maturação; (x) caixa de saída dotada de medidor de vazão tipo vertedor biangular e régua de medição direta; (xi) emissário final para lançamento do efluente tratado no corpo receptor, (xii) edificação de abrigo ao operador, dotada de vestiário e unidade sanitária; (xiii) taludes e fundo das lagoas de estabilização com revestimentos e impermeabilizações.
  • Projetos de automação: sistemas de controle operacional das estações elevatórias de esgotos projetadas automaticamente através de Controladores Lógicos Programáveis (CLPs), constituídos de unidades de processamento e de comunicação, memórias, entradas e saldas de dados e fonte de alimentação.

3. Topografia

  • Levantamentos planialtimétricos cadastrais da área de projeto, através da implantação de pontos de apoio locados com auxilio de GPS, contendo: cotas altimétricas, curvas de nível, coordenadas, locação e identificação de infraestruturas e edificações existentes e áreas especiais para implantação de unidades projetadas.

4. Cadastro de Propriedades

  • Pesquisa in loco das áreas e faixas de servidão de interesse para implantação das estações elevatórias, estações de tratamento, coletores troncos e emissários propostos no projeto de esgotamento sanitário, determinando a dimensão das áreas, o nome dos proprietários e a avaliação financeira com ou sem benfeitorias

5. Avaliação Socioeconômica

  • Avaliação socioeconômica o período de projeto, compreendido (1998-2018) para determinar a relação beneficio/custo (RBC) e a taxa interna de recurso (TIR) do sistema projetado, tendo como base: (i) projeções de população e de demandas (ii) custos de investimentos e de operação e manutenção, determinados a preço de eficiência; (iii) quantificação dos benefícios calculando-se a Disposição a Pagar (DAP) resultante da aplicação do Método de Avaliação Contingente.

6. Orçamentos e Especificações Técnicas

  • Elaboração de orçamento e das especificações técnicas em conformidade com os padrões da Caema, consubstanciados no Caderno de Encargos e no Banco de Serviços e Insumos fornecido pela Divisão de Custos e Orçamento.

II. SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA – SAA

1. Estudos de Concepção

  • Análise e avaliação dos projetos existentes; e avaliação operacional do sistema existente, visando a ampliação do sistema de abastecimento de água.
  • Estudo demográfico: projeção populacional, com base em dados do IBGE e outros dados levantados junto às concessionárias de serviços públicos, utilizando diferentes metodologias, para período 2000-2018.
  • Estudos técnico-econômicos e definição de alternativas: pré-dimensionamento das unidades componentes dos sistemas, para cada uma das várias alternativas apresentadas para a ampliação do sistema de abastecimento de água, com levantamento de custos de implantação, operação e manutenção ao longo do horizonte de projeto.

2. Projetos Básicos e Executivos das Unidades do Sistema de Abastecimento de Água

  • Captação de Água Bruta
  • Unidades de Desinfecção
  • Estações Elevatórias de Água Bruta e Água Tratada
  • Estação de Tratamento de Água – ETA
  • Reservatórios
  • Redes de Distribuição de Água, Adutora de Água Bruta e Adutora de Água Tratada
  • Projetos de Automação

3. Topografia

  • Levantamentos planialtimétricos cadastrais da área de projeto, através da implantação de pontos de apoio locados com auxilio de GPS, contendo: cotas altimétricas, curvas de nível, coordenadas, locação e identificação de infraestruturas e edificações existentes e áreas especiais para implantação de unidades projetadas.

4.  Plantas Cadastrais de Unidades Existentes

  • Elaboração de plantas cadastrais para unidades lineares existentes do Sistema de Abastecimento de Água com base em visitas locais e entrevistas junto a funcionários da Caema.

5. Cadastro de Propriedades

  • Cadastros de propriedades para a execução de obras lineares e unidades pontuais do Sistema de Abastecimento de Água projetado, incluindo avaliações financeiras das terras e de benfeitorias.

6. Macromedição

  • Proposta de instalação de macromedidores de vazão nas tubulações de saldas dos centros de reservação, que alimentam os setores piezométricos, e nas entradas das adutoras.

7. Avaliação Socioeconômica

  • Avaliação socioeconômica o período de projeto, compreendido (1998-2018) para determinar a relação beneficio/custo (RBC) e a taxa interna de recurso (TIR) do sistema projetado, tendo como base: (i) projeções de população e de demandas (ii) custos de investimentos e de operação e manutenção, determinados a preço de eficiência; (iii) quantificação dos benefícios utilizando o método Sinop, desenvolvido pelo BID para Projetos e Obras Públicas e, mais especificamente, para projetos de abastecimento de água.

8. Orçamentos e Especificações Técnicas

  • Elaboração de orçamento e das especificações técnicas em conformidade com os padrões da Caema, consubstanciados no Caderno de Encargos e no Banco de Serviços e Insumos do Sistema de Estruturação de Planilhas Orçamentárias.


voltar

 
Consulte o Portf�lio

Todos os trabalhos


RSS (Really Simple Syndication)
 

© 2008 - COBRAPE - Companhia Brasileira de Projetos e Empreendimentos | Todos os direitos reservados.
Produzido por - Plátano Comunicação S/C Ltda | Designer GuinaWeb - Ateliê Designer


RSS (Really Simple Syndication)