Página Inicial
   
 
 
Empresa | Áreas | Serviços | Notícias | Portfólio | Clientes | Compliance | Contato
COBRAPE - Companhia Brasileira de Projetos e Empreendimentos
 
Portfólio
GERENCIAMENTO DO PRÓ-BILLINGS – PROGRAMA INTEGRADO DE MELHORIA AMBIENTAL NA ÁREA DE MANANCIAIS DA REPRESA BILLINGS EM SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP
  
voltar



Cliente: Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo – Sabesp

Período: abril de 2011 - junho de 2019

Descrição do Projeto

O Programa Integrado de Melhoria Ambiental na Área de Manancial da Represa Billings no Município de São Bernardo do Campo – Pró-Billings foi concebido com o objetivo de melhorar a qualidade da água da represa com a implantação de um sistema para exportar os esgotos dos bairros da margem norte até o coletor-tronco Couros, na Bacia do Ribeirão dos Couros, e dali seguirem para estações de tratamento. O Programa foi orçado em R$ 260 milhões, dos quais 50% financiados pelo governo japonês através da Japan International Cooperation Agency – JICA. Os empreendimentos sob gerenciamento englobaram todas as obras do Programa: coletor-tronco Couros, coletores secundários e interligações, sistema de esgotamento sanitário das sub-bacias Alvarenga-Lavras e das sub-bacias das Áreas A/F. E ainda obras de redes coletoras, coletores, condutos forçados, travessias, estações elevatórias e linhas de recalque.

Descrição dos Serviços

I. GERENCIAMENTO DO PROGRAMA, ELABORAÇÃO DE PROJETOS EXECUTIVOS, LICENCIAMENTO AMBIENTAL E GERENCIAMENTO DE OBRAS

1. Gerenciamento do Programa

  • Apoio à Unidade de Gerenciamento na coordenação geral do Programa.
  • Assessoria técnica e elaboração dos documentos requeridos no contrato de empréstimo.
  • Contratação de consultores internacionais para as diversas etapas dos serviços.
  • Planejamento e controle da programação físico-financeira das diversas fases do Programa.
  • Elaboração do macroplanejamento do gerenciamento.
  • Elaboração de planejamento setorizado, por empreendimento.
  • Apoio aos processos licitatórios de obras, equipamentos e de serviços de suporte de engenharia (auditoria nos controles tecnológicos, sondagens, serviços de campo de topografia e de geotecnia).
  • Apoio em processos de desapropriações, autorizações especiais (rodovias, ferrovias e cursos d’água), licenciamentos e monitoramentos ambientais.
  • Desenvolvimento, implantação e operação de um sistema de informações para acompanhamento do andamento das obras.
  • Acompanhamento do desenvolvimento financeiro da implantação das obras.
  • Apoio técnico e administrativo no desenvolvimento da implantação dos empreendimentos.
  • Recebimento das Autorizações de Serviços emitidas pelos administradores de contrato.
  • Verificação do cumprimento das exigências contratuais por parte das empreiteiras.
  • Controle das datas-marco estabelecidas em contrato para a execução das obras.
  • Controle e avaliação dos cronogramas físico-financeiros das obras e reprogramações em caso de desvios detectados.

2. Elaboração dos Projetos Executivos de Coletores-Tronco, Redes, Estações Elevatórias de Esgoto e Linhas de Recalque

  • Vistoria em campo, em conjunto com a equipe técnica da Sabesp, para definição da programação e planejamento dos trabalhos, análise das técnicas a serem aplicadas, condução dos serviços, interface com as concessionárias e forma de encaminhamento de solicitações.
  • Descrição do sistema de esgotamento sanitário existente, identificação dos lançamentos de efluentes, pontos críticos e possíveis soluções.
  • Descrição detalhada dos estudos, projetos e planos existentes que possam influenciar o sistema a ser implantado.
  • Revisão da concepção dos Bairros Jussara, Areião e Vila Sabesp.
  • Estudos demográficos e de uso e ocupação do solo.
  • Definição de critérios e parâmetros de projeto conforme normas da ABNT e Sabesp.
  • Estudo e apresentação de alternativas para os sistemas de coleta e transporte.
  • Serviços de campo: serviços topográficos e cadastrais; levantamento de interferências subterrâneas, levantamentos geotécnicos.
  • Projeto executivo das unidades lineares: projeto hidráulico das unidades lineares; projetos executivos de coletores-tronco e redes coletoras; projeto executivo de condutos forçados; estudo de transiente hidráulico e estudo de otimização dos projetos executivos das elevatórias com a utilização do conceito de elevatórias setoriais recalcando nas torres de carga e condutos forçados; projeto de travessias de rodovias.
  • Projeto executivo das estações elevatórias de esgoto: projeto hidromecânico; projeto de fundações e estruturas; projeto elétrico, automação e subestação; arquitetura e urbanismo; projeto de implantação e movimento de terra; projeto de drenagem; projeto de instalações auxiliares.
  • Análise de projetos de desvios de tráfego e sinalização, atendendo ao que estabelece o Código Brasileiro de Trânsito e em conformidade as normas da Prefeitura.
  • Apoio à preparação de pacote técnico e documentação necessária para licitação de obras.
  • Elaboração de Relatórios Ambientais.
  • Cadastro, controle e atualização das informações de gerenciamento e de obras no EPM – Enterprise Project Management –, solução adotada pela Sabesp para a gestão do Programa.

3. Estudo e Elaboração do Licenciamento Ambiental Prévio e de Instalação das Obras nas Áreas Alvarenga/Lavras e A-F

  • Relatório de Caracterização de Vegetação para licenciamento do Programa junto à Cetesb, elaborado a partir de dados de levantamentos de campo e pesquisas bibliográficas.
  • Relatório Técnico Ambiental para obtenção da Manifestação Ambiental junto à Prefeitura de São Bernardo do Campo e Licenciamento do Programa junto à Cetesb, composto por: (i) Diagnóstico Ambiental e Avaliação de Impacto Ambiental, elaborado a partir de dados do planejamento do Programa do levantamento de medidas mitigadoras e do Memorial de Caracterização do Empreendimento; (ii) Plantas de Ocupação do Projeto em áreas de APP detalhando localização de rios, trechos canalizados, faixas de mata e o tipo de área de APP e localização das obras previstas e tipo de intervenções a serem realizados, projetos técnicos de implantação; (iii) Levantamento e cadastramento técnico para Faixas de Servidão e DUP – Decreto de Utilidade Pública de áreas destinadas à localização dos equipamentos e obras lineares; (iv) Estudo de Viabilidade de Implantação EVI para solicitação de Manifestação/Autorização do DAEE, com identificação e definição das travessias onde haverá interferências para realização das obras com passagem de dutos aéreos ou subterrâneos além do acompanhamento da aprovação na Cetesb.
  • Relatório de Solicitação de Outorgas DAEE, composto por levantamento topográfico, levantamento de dados de estudos hídricos, perfis das travessias além do acompanhamento da aprovação na Cetesb.

4. Gerenciamento e Fiscalização de Obras

  • Assessoria e assistência técnica às obras do Programa.
  • Programação e controle físico-financeiro dos empreendimentos.
  • Fisscalização, controle e supervisão das obras.
  • Consultoria técnica especializada nas diversas atividades e áreas objeto dos serviços.
  • Assessoria no relacionamento da Sabesp com fornecedores, prefeituras municipais concessionárias de serviços públicos (Artesp, Ecovias, SPMAR, Dersa) e demais intervenientes, inclusive a obtenção de autorizações especiais.
  • Apoio à Sabesp nas diligências junto aos diversos órgãos municipais e à Secretaria de Estado do Meio Ambiente para obtenção dos licenciamentos das obras.
  • Apoio à Sabesp nos processos de desapropriação e de obtenção de autorizações de passagem.
  • Verificação do cumprimento pelas empreiteiras das normas segurança, medicina e meio ambiente do trabalho.
  • Verificação do cumprimento pelas empreiteiras de prazos e valores contratuais.
  • Liberação de frentes de serviço e fiscalização da conformidade da execução com o projeto e especificações técnicas, de modo a garantir a qualidade das obras e serviços dos empreendimentos; acompanhamento do controle tecnológico, serviços topográficos e geotécnicos de todas as etapas dos empreendimentos; verificação da compatibilidade com os prazos de execução, datas marco e o cronograma de desembolso previsto para cada uma das frentes de serviço.

II. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DOS PROJETOS EXECUTIVOS DESENVOLVIDOS

1. Características das Áreas A a F

  • Coletores: 7.280 metros de extensão.
  • Linhas de Recalque: 12.514 metros de extensão.
  • Redes coletoras: 53.943 metros de extensão.
  • Ligações domiciliares: 7.566 ligações.
  • Travessias: 971 metros de extensão.

2. Características Áreas Alvarenga/Lavras

  • Coletores troncos secundários: 7. 280 metros de extensão.
  • Linhas de Recalque: 4.563 metros de extensão.
  • Redes coletoras: 38.081 metros de extensão.
  • Ligações domiciliares: 11.586 ligações.

3. Projetos das Elevatórias de Esgoto

  • Elevatórias de grande porte

√ Alimentação de energia em média tensão, por intermédio da rede aérea da concessionária.

√ Grupo gerador fixo instalado: 1 grupo gerador, diesel, com potência 500 kVA-400 kW, trifásico, fator de potência de 0,8, tensão de 440/254 Vca em 60 Hz para funcionamento paralelo e automático.

√ Distribuição de força, comando e sinais em rede subterrânea em baixa tensão (220 V), até o Painel de Comando de Motores, Painel de Entrada, Painéis de Bombas e Painel de Comando da Estação.

√ Sistema de comando e operação instalado em controlador lógico programável (CLP).

√ Medidores e instrumentos para controle operacional da Estação Elevatória: transmissor de nível ultrassônico no poço de sucção; chave boia para controle de nível baixo no poço de sucção; chave boia para controle de nível muito baixo no poço de sucção; chave boia para controle de nível muito alto no poço de sucção; chave boia para controle de nível alto no poço de sucção; transmissor de pressão selado na tubulação de recalque das bombas submersíveis; medidor de vazão eletromagnético instalado na tubulação de recalque.

√ Estação Elevatória Esmeralda: nº de conjuntos = 3+1 R, vazão total = 758,6 l/s, altura manométrica = 76 mca, potência unitária dos motores =: 450 CV, potência total instalada = 1.800 CV; Estação Elevatória Lavras: n° de conjuntos = 2+1 R, vazão total = 202 l/s, altura manométrica = 31 mca, potência unitária dos motores = 100 CV, potência total instalada = 300 CV; Estação Elevatória Camões : n° de conjuntos = 2+1 R, vazão total = 120 l/s, altura manométrica = 38 mca, potência unitária dos motores = 75 CV, potência ü   total instalada = 225 CV; Estação Elevatória Ideal: n° de conjuntos: 1+1 R, vazão total = 68 l/s, altura manométrica = 67,96 mca, potência unitária dos motores = 120 CV, potência total instalada = 240 CV.

  • Elevatórias de menor porte

√ Estações Elevatórias de 15 HP = 38 un.

√ Estações Elevatórias de 15 a 40 HP = 10 un.

√ Estações Elevatórias de 40 a 100 HP = 03 un.

4. Projeto Executivo da Linha de Recalque da EE Esmeralda

  • Tubulação em FoFo, diâmetro = 800 mm, extensão = 1.439 m, desnível do terreno de 80 m e torre de equilíbrio situada no trecho mediano da extensão.

5. Projeto das Torres de Carga

  • Elevatória Lazzuri: diâmetro = 2,0 m, altura = 15,55 m.
  • Elevatória Neci: diâmetro = 2,0 m, altura = 10,42 m.
  • Elevatória União: diâmetro = 2,0 m, altura = 12,40 m.


voltar

 
Consulte o Portf�lio

Todos os trabalhos


RSS (Really Simple Syndication)
 

© 2008 - COBRAPE - Companhia Brasileira de Projetos e Empreendimentos | Todos os direitos reservados.
Produzido por - Plátano Comunicação S/C Ltda | Designer GuinaWeb - Ateliê Designer


RSS (Really Simple Syndication)