Página Inicial
   
 
 
Empresa | Áreas | Serviços | Notícias | Portfólio | Clientes | Compliance | Contato
COBRAPE - Companhia Brasileira de Projetos e Empreendimentos
 
Portfólio
ESTUDOS, PROJETO BÁSICO DO SISTEMA DE ESGOTO SANITÁRIO CÓRREGO TURI E MARGEM ESQUERDA DO RIO PARAÍBA DO SUL E PROJETO EXECUTIVO DO SISTEMA CÓRREGO TURI E BACIAS B2.1 E B2.2 NO MUNICÍPIO DE JACAREÍ/SP
  
voltar



Cliente: Serviço Autônomo de Água e Esgoto – SAAE Jacareí

Período: março de 2005 - julho de 2008

Descrição do Projeto

O Município de Jacareí localiza-se no início da Bacia do Rio Paraíba do Sul, a 80 km de São Paulo e 350 km do Rio de Janeiro. Até dezembro de 2000, o índice de esgoto tratado no Município era de apenas 2%, e chega a 20% em 2005. Esse aumento se deve ao tratamento que vem sendo feito nos novos loteamentos regularizados, enquanto nos bairros mais antigos os lançamentos ainda são feitos em galerias de águas e corpos d’água. Para diminuir esses lançamentos, o SAAE projeta novos investimentos em redes de interligação, coletores tronco, estações elevatórias e estação de tratamento. Os serviços executados no âmbito deste contrato compreendem a elaboração do projeto básico do Sistema de Esgotamento Sanitário Córrego Turi e margem esquerda do Rio Paraíba do Sul e projeto executivo do Sistema Córrego Turi e Bacias B2.1 e B2.2, na margem direita do Rio.

Descrição dos Serviços

1. Estudos de Concepção

  • Coleta de dados e cadastros sobre sistemas de saneamento e de outros serviços públicos.
  • Reavaliação dos estudos e projetos existentes.
  • Delimitação das bacias de esgotamento das margens direita e esquerda do rio Paraíba do Sul, obtendo-se para o limite da área de Projeto, no total de 8 bacias de esgotamento.
  • Consolidação e atualização dos estudos populacionais existentes, projeções e distribuição espacial da população projetada por bacias e sub-bacias de esgotamento para toda a área de Projeto.
  • Projeção populacional pelo método das componentes geográficas para os anos de 2005, 2010, 2015, 2020 e 2025.
  • Estabelecimento dos critérios e parâmetros de projeto: determinação da população atendida, consumo per capita e coeficientes de variação de consumo.
  • Estudo das vazões de contribuição dos esgotos ao longo do período de Projeto.
  • Avaliação dos cadastros existentes, interferências e identificação dos lançamentos existentes de esgoto com inspeção de campo.
  • Traçado preliminar dos coletores-tronco e linhas de recalque com utilização de software para pré-dimensionamento, resultando 27,7 km de coletores-tronco, 10,9 km de linhas de recalque e 5,2 km de conduto forçado por gravidade.
  • Avaliação preliminar das áreas para implantação das obras localizadas: 21 áreas para estações elevatórias e 5 áreas para alternativas de localização da Estação de Tratamento – ETE Central.
  • Elaboração de Plano de Trabalho para os serviços básicos de apoio: serviços topográficos, geotécnicos e análises laboratoriais.
  • Análises laboratoriais do esgoto bruto e corpo receptor: (i) Levantamento dos estudos, diagnósticos, planos e projetos associados à qualidade das águas nas respectivas áreas de abrangência do Projeto (Cetesb, Ceivap, etc.); (ii) Levantamento dos dados de qualidade das águas do Paraíba do Sul monitorados pelo SAAE; (iii) Inspeções locais da área de projeto para verificação das condições hidrológicas e hidrográficas do rio na área de projeto; (iv) Identificação e inspeção em campo dos pontos de lançamento de efluentes para correlacionar os dados à situação da qualidade das águas; (v) Proposição de pontos de coleta e amostragem do esgoto bruto e das águas naturais, considerando os pontos já monitorados pelo SAAE e Cetesb; (vi) Análises para 3 pontos de coleta para os seguintes parâmetros: temperatura, DBO, DQO, sólidos totais, sólidos suspensos totais, sólidos voláteis, sólidos suspensos voláteis, sólidos fixos, sólidos suspensos fixos, sólidos dissolvidos totais, sólidos dissolvidos fixos, sólidos dissolvidos voláteis, pH, nitrogênio kjeldahl total, fenóis, óleos e graxas, ortofosfato, oxigênio consumido, oxigênio dissolvido e surfactantes aniônicos(exames físico-químicos), e coliformes fecais e coliformes totais (exames microbiológicos).
  • Diagnóstico analítico da qualidade das águas, reunindo as informações de todas as atividades anteriores aos resultados laboratoriais, e consolidando os estudos de concepção e viabilidade e os estudos de impacto ambiental.
  • Estudo de alternativas de arranjo geral para o sistema de esgotamento sanitário da área de projeto e comparação técnica, econômica, ambiental e operacional das alternativas.
  • Proposta de alternativas de arranjo geral e de processo de tratamento de esgoto e escolha da alternativa mais conveniente, sob os aspectos técnicos, operacional, econômico e ambiental: (i) Estudo do corpo receptor, definição do grau de tratamento necessário e estudo de autodepuração do corpo receptor, considerando-se vazão media do dia de major produção de esgotos para segunda etapa de 884 ls; (ii) Determinação das vazões e cargas para dimensionamento da ETE Central; (iii) Estudo das alternativas de arranjo geral e de processo, com pré-dimensionamento das unidades para os processos de reatores UASB + filtros biológicos aerados de leito submerso e decantadores secundários, de reatores UASB + processo de lodos ativados, de lodos ativados convencional e sistema de tratamento biolac.
  • Definição da área necessária para o tratamento e destinação final dos biossólidos gerados pelo sistema.
  • Pré-dimensionamento dos coletores-tronco, interceptores e emissários projetados e verificação da capacidade hidráulica dos coletores-tronco existentes.
  • Pré-dimensionamento das estações elevatórias de esgoto e linhas de recalque.
  • Estudo das alternativas de processo de tratamento, em cada uma das alternativas de arranjo geral, com comparação técnica, econômica, ambiental e operacional das alternativas.
  • Pré-dimensionamento das principais unidades de processo da ETE e proposição de modulação por etapas de implantação.
  • Definição da concepção do sistema de veiculação e tratamento de esgoto.

2. Relatório Ambiental Preliminar – RAP e Licenciamento Ambiental

  • Relatório de Andamentocom o diagnóstico ambiental sumário da área de abrangência do projeto e análise dos aspectos ambientais relevantes das alternativas.
  • Minuta do Relatório Ambiental para solicitação das licenças ambientais apresentando informações gerais, caracterização e justificativa do empreendimento, procedimentos metodológicos, caracterização das áreas de influência do projeto, diagnóstico ambiental (meio físico, biótico e antrópico, identificação e avaliação dos impactos ambientais, proposição das medidas mitigadoras e compensatórias) e programas ambientais.
  • Relatório Final do RAP composto por: (i) Consolidação da Minuta do Relatório Ambiental; (ii) documentos e informações necessárias ao processo de licenciamento ambiental junto ao DEPRN; (iii) Documentos e informações necessárias ao processo de licenciamento e pedido de outorgas de direitos de uso (lançamento e travessia junto ao DAEE; e (iv) Socumentos, diagnóstico e estudos dos sítios arqueológicos na Bacia do Córrego Turi, necessárias ao processo de licenciamento junto ao Iphan – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional; (v) Documentação geral referente a posse e situação fundiária das áreas para a implantação da ETE, das estações elevatórias e faixas de servidão dos coletores-tronco; (vi) anuência prévia do responsável que receberá os resíduos sólidos para disposição final; (vii) anuência da Prefeitura, informando sabre a conformidade do empreendimento com a Lei de Uso do Solo do Município.

3. Serviços de Apoio Básico

  • Serviços topográficos: levantamento planialtimétrico cadastral, de acordo com a Norma Técnica NBR 13133 da ABNT.
  • Elaboração de cadastro de propriedades com realização de visitas a campo para identificação dos endereços das propriedades a serem desapropriadas; requisição à Prefeitura do cadastro técnico municipal de cada propriedade para obtenção do respectivo número de matricula; pesquisas junto ao Cartório de Registro de Imóveis para obtenção das certidões e/ou matrículas do registro geral do Cartório de cada propriedade; delimitação em planta das áreas a serem desapropriadas e elaboração da descrição perimétrica de cada área.
  • Serviços geotécnicos: sondagens a percussão executadas com tubos de 21/2" e amostras extraídas de metro em metro, ao longa da perfuração; sondagens a trado executadas com furos de 4" com retirada de amostras para determinação dos horizontes geológicos e identificação das camadas distintas do solo.

4. Projeto Básico

  • Consolidação do estudo populacional e distribuição espacial por bacias de esgotamento.
  • Consolidação das vazões de dimensionamento de esgoto.
  • Dimensionamento hidráulico dos coletores-tronco, interceptores e emissários por gravidade e projeto básico em planta com caminhamento das obras lineares e elementos hidráulicos, inclusive 585,55 m de travessias por método não destrutivo.
  • Dirnensionamento hidráulico e de processo das unidades da ETE adotando-se a associação de dois processos biológicos distintos e complementares compostos por um estágio primário baseado da depuração biológica por via anaeróbia através do emprego de reatores anaeróbios de manta de lodo e fluxo ascendente, complementado por um estágio secundário aeróbio através de um sistema de lodos ativados, complementado pela inclusão de sistemas periféricos, destacando-se a unidade de tratamento preliminar, destinada à remoção dos sólidos grosseiros, afluentes ao sistema de tratamento, o sistema de condicionamento e desaguamento do lodo e o sistema de desinfecção do efluente tratado
  • Definição da automação da ETE.
  • Dimensionamento hidráulico e projeto básico hidráulico das estações elevatórias e linhas de recalque projetadas em ferro fundido.
  • Projeto básico: hidromecânico, estrutural e de fundação, elétrico e de instrumentação das estações elevatórias de esgoto;
  • Modulação e dimensionamento hidráulicos das unidades da estação de tratamento de esgoto.
  • Projeto básico hidráulico e de processo da ETE e emissário do efluente tratado;
  • Projeto básico hidromecânico e de processo, estrutural, elétrico e de instrumentação/automação da ETE.
  • Projeto básico de drenagem das áreas e terraplanagem e projeto especial definindo locais de jazidas de empréstimo e bota-fora.
  • Definição dos métodos construtivos, destacando-se projeto de parede diafragma, sendo 355 rn2 com espessura de 0,40 m e 770 rn2 com espessura de 0,70 m.
  • Quantificação e orçamento estimativo das obras lineares, elevatórias e ETE.

5. Projeto Executivo

  • Projeto Executivo do Sistema de Afastamento das sub-bacias de esgotamento do sistema Turi.
  • Projeto executivo hidromecânico das estações elevatórias do sistema Turi e linhas de recalque projetadas em ferro fundido.
  • Projeto executivo hidromecânico e de processo da 1ª etapa de obras da ETE considerando a modulação proposta no projeto básico.
  • Projeto executivo estrutural e de fundações, elétrico, instrumentação/automação e arquitetônico das estações elevatórias.
  • Avaliação geotécnica e projetos de escoramentos de valas e embasamentos.
  • Projeto executivo estrutural e de fundações, elétrico, instrumentação/automação e arquitetura da ETE.
  • Projeto de urbanização e de paisagismo das áreas das estações elevatórias e estações de tratamento (13.500 m2).
  • Projetos de movimento de terra e drenagem de área das elevatórias e estações de tratamento.
  • Projeto executivo de travessias e obras especiais: travessias sob córrego por método destrutivo – ensecadeiras: 103,36 m.
  • Elaboração de Manual de Operação do Sistema de Esgoto Sanitário projetado.
  • Elaboração de Pacote Técnico.


voltar

 
Consulte o Portf�lio

Todos os trabalhos


RSS (Really Simple Syndication)
 

© 2008 - COBRAPE - Companhia Brasileira de Projetos e Empreendimentos | Todos os direitos reservados.
Produzido por - Plátano Comunicação S/C Ltda | Designer GuinaWeb - Ateliê Designer


RSS (Really Simple Syndication)