Página Inicial
   
 
 
Empresa | Áreas | Serviços | Notícias | Portfólio | Clientes | Compliance | Contato
COBRAPE - Companhia Brasileira de Projetos e Empreendimentos
 
Portfólio
ESTUDOS E PROJETOS DE ENGENHARIA DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO MUNICÍPIO DE CAMPOS DO JORDÃO (SEDE) E DISTRITO DE DESCANSÓPOLIS/SP
  
voltar



Cliente: Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo – Sabesp

Período: agosto de 2001 - outubro de 2002

Descrição do Projeto

Os estudos e projetos realizados no âmbito deste contrato visam garantir o abastecimento de água no Município de Campos do Jordão (Sede) e Distrito de Descansópolis, em um horizonte de 20 anos, para uma população prevista de 130 mil habitantes e uma demanda de 608,00 l/s no final do período. As soluções propostas para a ampliação do Sistema de Abastecimento atendem às especificidades do Município – uma estância climática inserida, em sua totalidade, em Área de Proteção Ambiental – APA. Os trabalhos consistiram de estudos de concepção, com base no cálculo da disponibilidade hídrica de superfície e consideradas diferentes alternativas locacionais, bem como os potenciais de produção hídrica decorrentes dos arranjos hidráulicos pesquisados; projetos executivos de reservatórios, adutoras, Estações de Tratamento de Água e Estações Elevatórias de Água Bruta; e elaboração de Relatório Ambiental Preliminar – RAP, nos termos da Resolução SMA 42/94.

Descrição dos Serviços

I. ESTUDO DE CONCEPÇÃO

  • Levantamento de dados de caráter ambiental: dados básicos referentes aos sistemas existentes junto à Sabesp, Prefeitura e concessionárias; e dados sobre características da comunidade.
  • Análise dos estudos e projetos existentes.
  • Digitalização do cadastro da rede de distribuição existente.
  • Estudos demográficos.
  • Caracterização da área de projeto e distribuição espacial da população por zona de ocupação homogênea, para o horizonte de projeto no ano 2021, destacando-se os valores resultantes para os anos intermediários 2006, 2011 e 2016.
  • Estudo e definição de mananciais e disponibilidade hídrica de superfície, considerando diferentes alternativas locacionais, bem como os potenciais de produção hídrica decorrentes dos arranjos hidráulicos, pesquisados para as barragens e reservatórios de acumulação hídrica.
  • Definição dos critérios e parâmetros básicos de projeto.
  • Cálculo e projeção das demandas e distribuição do consumo por zona homogênea para os anos 2001, 2006, 2011, 2016 e 2021.
  • Avaliação preliminar dos serviços de apoio.
  • Diagnóstico do sistema de abastecimento de água existente;
  • Identificação das alternativas para melhoria do sistema de abastecimento de água.
  • Setorização altimétrica do sistema de distribuição.
  • Distribuição das demandas de água por zona altimétrica.
  • Identificação das zonas piezométricas, de acordo com os distritos pitométricos existentes.
  • Elaboração de estudo técnico, econômico e ambiental para determinação da melhor alternativa, com levantamento dos custos de investimentos e operacionais.
  • Inspeção de campo para averiguação in loco da alternativa escolhida: identificação das áreas de influência dos empreendimentos; caracterização do tipo, extensão e estágio de desenvolvimento da vegetação existente; caracterização da bacia hidrográfica, identificação de seus usos a montante e a jusante; pesquisa sobre existência de planos, programas e projetos com possível interferência nos empreendimentos; indicação das áreas de empréstimo e bota-fora.
  • Estudo, definição e pré-dimensionamento das principais unidades do sistema.
  • Definição das linhas adutoras, subadutoras e rede de distribuição primária.
  • Simulação hidráulica da rede primária.
  • Definição das obras prioritárias na rede de distribuição.
  • Determinação do sistema de recuperação de água de lavagem das Estações de Tratamento de Água.
  • Determinação do sistema de tratamento e disposição final dos lodos gerados nas Estações de Tratamento de Água.

II. PROJETO DE ENGENHARIA

1. Geral

  • Execução de serviços de topografia, sondagens, análises laboratoriais e análises geotécnicas.
  • Layout das unidades, tubulação, definição das áreas e projeto civil-arquitetônico.
  • Estudo e definição das alternativas das unidades, equipamentos e locação, do ponto de vista técnico, econômico, operacional, financeiro e ambiental.
  • Reavaliação da ETA existente (capacidade nominal de 270 l/s).
  • Cálculo e dimensionamento hidráulico e civil das unidades projetadas.
  • Estudo de transientes hidráulicos nas linhas de recalque das Estações Elevatórias de Água Tratada – EEATs e boosters.
  • Definição de métodos construtivos.
  • Projeto de drenagem da área do reservatório de 1.200 m3.

2. Detalhamentos para o Município de Campos do Jordão (Sede)

  • Projeto de captação por meio de barragem de elevação de nível em concreto armado, com altura total de 1,5 m e comprimento total de 9,00 m.
  • Estação Elevatória de Água Bruta composta por bomba de eixo vertical com P= 200 CV, Q = 70,0 l/s e Hm= 133,73 mca.
  • Adutora de água bruta em ferro dúctil, DN 300 mm e extensão total de 7.949,88m.
  • Sistema de recirculação das águas de lavagem da ETA existente, abrangendo o sistema de recuperação e recirculação das águas de lavagem dos floculadores, decantadores e filtros e o sistema de desidratação, por centrifugação, do Iodo gerado no processo de tratamento e disposição final do mesmo; foram projetadas as seguintes unidades: (i) tanque de água de lavagem dos filtros (TF) com volume útil = 100 m3; (ii) tanque de acumulação de água de lavagem dos decantadores (TD) com volume útil = 502 m3; (iii) adensador por gravidade (AD) com diâmetro de 8,0 m; (iv) prédio de desaguamento (PD) com centrífuga dimensionada para vazão de 1,7 m3/h e regime de funcionamento de 24 h/dia, 6 dias por semana; (v) estação elevatória para efetuar o recalque do efluente da lavagem dos decantadores, do TD para o adensador, constituída de 2 bombas de cavidades progressivas com P = 1,5 CV cada e vazão total = 1,74 l/s; (vi) estação elevatória para efetuar o recalque do adensador para a centrífuga, constituída de 2 bombas de cavidades progressivas com P = 0,75 CV cada e Q = 0,47 l/s.
  • Adutoras de água tratada em ferro dúctil, com extensão total de 8.945,44 m subdivididas em 797,50 m de 400 mm; 7,50 m de 300 mm; 7.449,44m de 200 mm e 691,00 m de 150 mm.
  • 4 boosters tipo tubulão com bomba submersa única, sendo: 1 com P = 100 CV, Q = 36,93 l/s e Hm = 125 mca; 1 com P = 2,5 CV, Q = 14,7 l/s e Hm =8 mca; 1 com P = 62 CV, Q = 23,14 l/s e Hm= 123 mca e 1 com P = 3,6CV, Q = 5,98 l/s e Hm = 8,21 mca.

3. Detalhamentos para o Distrito de Descansópolis

  • Projeto de captação por meio de barragem de elevação de nível em concreto armado, com altura total de 1,5 m e comprimento total de 9,0 m.
  • Estação elevatória de água bruta composta por bomba de eixo vertical com P = 4,2 kW, Qj = 25,0 l/s e Hm = 9,01 mca.
  • 2 reservatórios apoiados em concreto armado com volumes respectivos de 200 m3 e 150 m3.
  • 2 reservatórios apoiados em fibra de vidro de 100 m3 cada.
  • 2 boosters tipo tubulão com bomba submersa única, 1 com P = 40 CV, Q = 16,9 l/s e Hm = 126,7 mca, e 1 com P = 21 CV, Q = 12,56 l/s e Hm = 88,0 mca.
  • 4 adutoras de água tratada em ferro dúctil, DN 150 mm, com extensão total de 6.935,45 m.

III. PROJETO EXECUTIVO

1. Detalhamentos

  • Detalhamentos hidráulico, hidromecânico das diversas partes do sistema, localizadas na sede do município, compreendendo: (i) planta, corte e detalhes das unidades; (ii) planta e  perfil das tubulações de interligação, inclusive detalhes de peças e acessórios; (iii) fundações e estruturas das obras localizadas; (iv) detalhamento construtivo para assentamento de tubulações (escoramento e embasamento); e (v) montagem dos conjuntos motobombas.

2. Projetos

  • 5 reservatórios apoiados em concreto armado, 3 com volume de 300 m3, 1 de 450 m3 e 1 de 1.200 m3.
  • Estação Elevatória de Água Tratada composta por 2 conjuntos motor-bomba com P = 300 CV cada, Q = 115,0 l/s e Hm = 138,21 mca.
  • Planilhas de orçamento e especificações de materiais e serviços para o reservatório de 1.200 m3, Estação Elevatória de 300 CV e rede de distribuição.
  • Caderno de especificações técnicas de equipamentos e serviços necessários à execução do reservatório de 1.200 m3 e Estação Elevatória de 300 CV.
  • Rede de distribuição em PVC, com extensão total de 40.679,10 m, subdivididas em 165,00 m de 400 mm; 5.587,00 m de 200 mm; 5.645,00 m de 150 mm; 3.418,90 m de 100 mm; 4.557,00 m de 75 mm; e 21.306,20 m de 50 mm.

IV. ESTUDOS AMBIENTAIS E LICENCIAMENTO

  • 1. Discussão das Alternativas de Projeto e Avaliação Preliminar da Viabilidade Ambiental do Empreendimento
  • Apresentação e discussão das propostas junto à Sabesp, Secretaria Estadual do Meio Ambiente, Instituto Florestal, Departamento Estadual de Proteção dos Recursos Naturais, Cetesb e DAEE.
  • Definição de critérios e condições para implantação do empreendimento na Área de Proteção Ambiental de Campos do Jordão.
  • Encaminhamento de relatórios-síntese do projeto para obtenção de pareceres e negociação da apropriação de áreas públicas em unidades de conservação (Parque Estadual de Campos do Jordão e Área de Proteção Ambiental).
  • Acompanhamento dos processos de licenciamento ambiental junto ao DEPRN e IF e de outorgas de direito de uso de recursos hídricos junto ao DAEE.

2. Elaboração do Relatório Ambiental Preliminar – RAP (Resolução SMA 42/94)

  • Caracterização dos objetivos gerais e específicos do empreendimento.
  • Diagnóstico político-institucional da gestão de recursos hídricos e de saneamento ambiental e suas interfaces com as políticas nacional, estadual, e municipal.
  • Justificativa do empreendimento, abrangendo: (i) avaliação das características do Sistema de Abastecimento de Água existente; (ii) demandas atuais e futuras, considerando o horizonte de projeto de 20 anos; (iii) análise e avaliação das alternativas estudadas e análise dos aspectos físicos, bióticos, tecnológicos e locacionais.
  • Caracterização do empreendimento, compreendendo: (i) empreendimento proposto (descrição dos métodos, processos construtivos e tecnologias, áreas de empréstimo e bota-fora, acessos provisórios ou definitivos, etc.; distribuição populacional ao longo do período do empreendimento; demandas de água ao longo do período de alcance do empreendimento); (ii) sistema de recirculação das águas de lavagem da ETA, com ênfase nos aspectos ambientais; (iii) condições, legislação, processos, mecanismos de transporte e acondicionamento relativos à disposição final do lodo, abrangendo a caracterização do lodo gerado na ETA de Campos do Jordão (mediante análise laboratorial dos sólidos e do sobrenadante, nos termos da NBR 10.004, e descrição das alternativas estudadas de disposição final e reutilização do lodo (compostagem, incineração, sistemas construtivos e disposição em aterro); (iv) mão de obra para implantação e operação; (v) custo total do empreendimento e cronograma de implantação.
  • Classificação dos mananciais estudados e análise da situação de enquadramento dos corpos d'água em classes de uso.
  • Definição dos procedimentos metodológicos para os levantamentos e a avaliação de impacto ambiental.
  • Caracterização das áreas afetadas, áreas de influência direta e indireta, incluindo, nesta última, as bacias hidrográficas (Unidades de Gerenciamento de Recursos Hídricos – UGRHI 1: Mantiqueira e UGRHI 2: Paraíba do Sul).
  • Diagnóstico Ambiental e Integrado da área direta e indiretamente afetada pelo empreendimento, com levantamentos de dados e pesquisa de campo, integração de informações em bases georreferenciadas e análise de fontes secundárias de dados, relacionados a: meio físico (clima; hidrogeologia, disponibilidade hídrica superficial e qualidade da água dos mananciais selecionados, incluindo campanhas de monitoramento hidroambiental realizadas nos cursos d'água, com análise físico-química e bacterológica; geologia, geomorfologia e pedologia); meio biótico (cadastramento das espécies vegetais em APPs e ameaçadas de extinção; avaliação da situação das Unidades de Conservação, incluindo análise da legislação, estudo e avaliação do Plano de Manejo do Parque Estadual de Campos do Jordão para compatibilização com a implantação da captação no Córrego Ganha Bola; estudo da APA de Campos do Jordão; estudo dos ecossistemas das UCs; levantamento das espécies raras e ameaçadas de extinção); meio antrópico (histórico da ocupação, desenvolvimento do turismo e dinâmica populacional; atividades econômicas e produtivas, emprego e renda; abastecimento de água, esgotamento sanitário, sistemas de drenagem, comunicações, energia elétrica, educação e saúde pública; análise do Plano Diretor, zoneamento municipal e da APA; utilização dos recursos hídricos em fontes hidrominerais, geração de energia, lazer e recreação, exploração de água subterrânea, agropecuária e mineração).
  • Identificação e avaliação dos impactos ambientais, abrangendo as fases de planejamento/divulgação, construção/implementação e operação/manutenção do empreendimento.
  • Descrição e análise das medidas mitigadoras, compensatórias e de controle ambiental, incluindo custos e cronograma de execução das medidas.
  • Elaboração de Programas de Controle Ambiental e Plano de Monitoramento: (i) programa de medidas de controle e prevenção ambiental vinculadas às obras; (ii) programa de saúde da mão de obra; (iii) programa de revegetação e incentivo à arborização de vias públicas; (iv) programa de proteção e recuperação das áreas de várzea; (v) programa de prevenção e mitigação de impactos à flora e fauna; (vi) programa de comunicação social; (vii) programa de adequação de infraestrutura social; (viii) programa de indenização e desapropriado; (ix) programa de gestão ambiental; (x) plano de monitoramento dos impactos ambientais.


voltar

 
Consulte o Portf�lio

Todos os trabalhos


RSS (Really Simple Syndication)
 

© 2008 - COBRAPE - Companhia Brasileira de Projetos e Empreendimentos | Todos os direitos reservados.
Produzido por - Plátano Comunicação S/C Ltda | Designer GuinaWeb - Ateliê Designer


RSS (Really Simple Syndication)